Oncocentro seleciona Acadêmico(a) de Enfermagem
19 de abril de 2018
Outubro Rosa
4 de outubro de 2018

O suporte psicológico ao paciente oncológico na prevenção de suicídio. O câncer desde antiguidade tem sido associado a aspectos emocionais, mas somente nos dias atuais o assunto está relacionado de forma mais clara, com a necessidade de unir seu tratamento aos cuidados psicológicos.

Na fase antecede diagnóstico, é um momento de incertezas, insegurança, que leva o paciente a muitos questionamentos, pela expectativa de resultado de exames, faz com que seja uma fase que leva a sentimentos de angústia e ansiedade, no qual surgem demandas afetivas e relacionadas as suas relações e existências.

Após o diagnóstico e durante o tratamento, os pacientes em sua maioria, sofrem além da doença, a desestruturação de uma forma geral, sendo neste momento fundamental o papel do psicólogo como suporte para este e seus familiares.

O câncer gera importante impacto físico e psicológico, o que pode levar um desinvestimento na própria vida e consequentemente possuem riscos de suicídio aumentado quando comparado à população geral. Sendo de fundamental importância o profissional de saúde levar em conta a saúde mental do paciente e seu histórico psiquiátrico, cabendo ao psicólogo realizar esta avaliação a fim de prevenir e intervir precocemente em situações que envolvam suicídio.

Os pacientes que passam por atendimento psicológico, têm um melhor ajustamento em relação à doença, se configurando com uma melhor adesão ao tratamento, auxiliando na redução de sintomas do câncer e possíveis reações adversas do tratamento e muitas vezes aumentando o tempo de sobrevida.

A psico-oncologia visa desenvolver as formas mais eficientes de enfretamento da doença, trabalhar técnicas que auxiliem o paciente na expressão e compreensão de suas emoções, possibilitando a comunicação intra e interpessoal de forma mais autentica, melhorando sua qualidade de vida, resignificando crenças relacionadas ao câncer e acontecimentos da vida. Dessa forma procurar aumentar a autoconfiança e estabelecer seus suportes de forma estruturada.

Com esta visão, na Oncologia clínica, o paciente após o diagnóstico da doença e a triagem do tratamento, ao início da quimioterapia passa pelo acolhimento da psicologia e da equipe multiprofissional, proporcionando o suporte, visando reduzir as possibilidades de distúrbios emocionais como ansiedade, depressão, inclusive ideação suicida que possa vir a comprometer o tratamento e a saúde emocional do paciente.

O papel do psicólogo é um elemento de fundamental importância neste processo, em sinergia com a equipe interdisciplinar, pois através do suporte psicólogo, em sua escuta diferenciada, visa principalmente contribuir para o alivio do sofrimento humano e melhoria da qualidade de vida dos pacientes e familiares.

Possuindo uma visão sistêmica em relação aos diversos cuidados necessários aos seus pacientes, vislumbrando seus aspectos emocionais vinculados ao tratamento, o Oncocentro em parceria com hospital São Carlos disponibiliza este suporte interdisciplinar, reconhecendo a importância desse olhar diferenciado no tratamento oncológico.

Marina Maia Studart de Alencar
Psico-Oncologia, Psicóloga hospitalar e
Psicóloga Clínica · CRP-11/09813

WhatsApp Fale via WhatsApp